quinta-feira, 11 de abril de 2013

TEMPO


               Não sei bem o que aconteceu, aliás ainda junto os cacos do que sobrou pelo chão, talvez a culpa fosse mesmo minha ou talvez eu até tivesse alguma razão, o fato é que o que deveria ser pra sempre não foi nem muito longe e muito menos próximo disso. 
               Então logo eu que sempre detestei cigarro e nunca havia fumado na vida, dei um trago, deveria ser umas 9 da noite, mas já era 3:15 da manhã o sono longe e eu ainda mais. A cama marcava seu lado vazio, suas coisas la fora, o silencio fazendo bagunça em cada canto da casa. Um vinho bem barato, cerveja quente e o coração preocupado, ingredientes perfeitos para um suicídio mental. Porque uma velha senhora sempre me dizia quando a mente não funciona o corpo paga, hoje, amanhã ou em 36x sem juros, mas ele sempre paga. 
            Meu refúgio tem sido o sorriso mais lindo do mundo, que  dura ate as 18:00 e sem finais de semanas, ela me entende perfeitamente e até briga comigo, diz que eu vou melhorar com o tempo, e que o tempo logo vai passar, mas ele para quando ela vai embora e eu pairo no ar, sem rumo e com medo do que esta por vir, afinal de contas minha parte boa já se foi, e foi com ela tudo que me mantinha de pé, agora é só questão de tempo _isso mesmo: Tempo. Exatamente a única coisa que eu não tenho no momento.